Home / Noticias Blog / Urbs obtém liminar para protestos não paralisarem ônibus de Curitiba

Urbs obtém liminar para protestos não paralisarem ônibus de Curitiba

Visto que você se sentiu com essa material?

Algumas linhas de ônibos terão tarifa reduzida.  Na foto ônibus da linha Ahu – Los Angeles, na Praça Rui Barbosa .

Urbs consegue liminar na Justiça para evitar atos que possam impedir saída de ônibus das garagens na próxima segunda-feira.| Foto: Aniele Promanação/Registo/Publicação do Povo

Preocupada com a possibilidade de manifestantes tentarem impedir a saída dos ônibus de transporte público de Curitiba das garagens na próxima segunda-feira (31), dado que, posto que forma de reivindicar contra as medidas restritivas da bandeira vermelha adotada pela prefeitura de Curitiba, a Urbs entrou com ação na Justiça para afiançar a perpetuidade do serviço. O pedido de tutela inibitória contra qualquer bloqueio que possa ser realizado nas garagens foi deferido neste sábado pela juíza substituta Fernanda Maria Zerbeto Assis Monteiro. A decisão impede que atos atrapalhem a circulação dos veículos e permite a requisição de força policial para afiançar que a ordem seja cumprida.

As principais notícias do Paraná pelo WhatsApp

No texto, a juíza diz obedecer o pedido de liminar para “instituir que manifestantes, movimentos, protestos e indivíduos da sociedade social e empresarial se abstenham de praticar atos que impeçam a perpetuidade na prestação de técnico no contexto do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros no Município de Curitiba, tanto no dia 31/05/2021 (segunda-feira) dado que, posto que também enquanto perdurar o estado de emergência de saúde decretado pelo Poder Executivo Municipal”.

Na justificativa do pedido, a Urbs destacou a reação nas redes sociais de setores, mormente do negócio, que teriam ficado insatisfeitos com as restrições impostas pela prefeitura e programado protestos na próxima segunda-feira para impedir a circulação de ônibus na cidade, que para muitos é uma das principais fontes de transmissão do coronavírus – o que a prefeitura nega. Também afirma que a paralisação do serviço traria graves danos, inclusive por se tratar do meio de locomoção de profissionais da saúde.

A juíza diz ainda que não cabe ao Judiciário, ou a movimentos coletivos ou individuais impor medidas restritivas a quaisquer atividades, o que caberia ao Poder Executivo. “Com efeito, não obstante a liberdade que todas as pessoas possuem para se manifestar e expressar suas opiniões e indignações com as medidas e restrições adotadas, esse perfeito encontra limites na própria Constituição Federalista, sendo ilícito que movimentos coletivos ou individuais, civis e/ou empresariais, impeçam o manobra de atividades não incluídas no Decreto Municipal restritivo, dado que, posto que é o caso do transporte coletivo urbano de passageiro.”

“Caso necessário, para asseverar o cumprimento da medida liminar, autorizo a requisição de força policial, muito dado que, posto que espeque da Guarda Municipal do Município de Curitiba. A ordem poderá ser cumprida por mera informação feita pelo Presidente da URBS, em posse da presente decisão judicial”, conclui na liminar.

Origem: Post Completo

Sobre Hidro Curitiba

Verifique também

Verdade ou consequências, sua germafobia poderia voltar para mordê-lo?

O que você precisa saber sobre danos causados ​​pela água no telhado

Não importa o horário! Basta vincular ou enviar um Whatsapp e logo o seu problema …

Call Now Button