Home / Noticias Blog / Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba; VÍDEO | Paraná

Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba; VÍDEO | Paraná

A Polícia Civil investiga a suspeita de abandono do idoso Valmir Gonçalves de Lima, de 62 anos, em uma calçada no bairro Umbará, em Curitiba. Vizinhos disseram à polícia que ele foi encontrado vestido apenas fraudas e com sangramento no abdômen.

Conforme a polícia, o idoso estava internado no Hospital Angelina Caron e foi levado, de ambulância, até a casa de familiares, na terça-feira (21). De acordo com a polícia, na data, ninguém estava no local para recebê-lo.

Vizinhos do idoso disseram à polícia que o encontraram na parte de fora da casa, sentado em uma cadeira de rodas, apenas com fraldas. Ele apresentava sangramento na região do abdômen, conforme os vizinhos. Assista ao vídeo acima.

Valmir Lima estava internado desde 11 de dezembro do ano passado. Os vizinhos afirmaram à polícia que, quando encontraram o idoso na calçada, decidiram levá-lo para a garagem e o cobriram com uma manta.

Os vizinhos denunciaram, segundo a polícia, que o idoso foi deixado no local pela ambulância do hospital.

Ainda na data em que foi encontrado pelos vizinhos, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levou o paciente de volta ao hospital. Mas, no dia seguinte, ele morreu.

De acordo com a Polícia Civil, o laudo apontou cirrose hepática alcoólica e insuficiência renal crônica como causas da morte.

Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba — Foto: Reprodução/RPC Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba — Foto: Reprodução/RPC

Polícia Civil investiga suspeita de abandono de idoso doente em calçada de Curitiba — Foto: Reprodução/RPC

O irmão da vítima disse que morava com ela antes do internamento e afirmou que procurou pelo idoso no hospital, mas não o encontrou.

“Quando eu fui visitar ele (o idoso), levar fraldas, eles me falaram que ele estava no setor de alta. Daí, eu fui até lá, e eles me informaram que ele já tinha ido para casa. Mas, como eu moro sozinho, a casa estava toda fechada”, disse o irmão Cidionir Lima.

O Hospital Angelina Caron negou que tenha deixado o idoso na calçada e afirma que ele foi levado de ambulância, acompanhado por um enfermeiro e um assistente social até o domicílio de cadastro.

De acordo com o hospital, a equipe foi recebida por um morador que se identificou como amigo da família e cuidador do idoso. A pessoa informou que o paciente morava com um irmão em outro endereço, para onde a ambulância se dirigiu.

“Neste segundo endereço, um vizinho recebeu o paciente e disse que aguardaria no local a chegada de um familiar. A equipe do hospital insistiu que permaneceria ali até o familiar chegar, mas o vizinho a dispensou”, informou.

Segundo o hospital, não há registro de visita de familiares durante os períodos de internamento do idoso. O hospital disse que registrou, em 27 de dezembro, uma denúncia no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Quatro Barras sobre o abandono do paciente pela família.

Conforme a nota do hospital, a família do idoso “se recusou a ir buscá-lo todas vezes que o paciente teve alta”. O hospital disse também que abriu uma sindicância interna para apurar os fatos, e que a direção pretendia acionar o Ministério Público do Paraná por abandono de incapaz.

O Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Cras) de Quatro Barras informou que, quando foi avisado pelo hospital, ofereceu uma vaga para Valmir em uma casa de acolhimento, mas o idoso acabou ficando no hospital.

Hospital Angelina Caron negou que equipe tenha deixado idoso em calçada, após receber alta — Foto: Reprodução/RPC Hospital Angelina Caron negou que equipe tenha deixado idoso em calçada, após receber alta — Foto: Reprodução/RPC

Hospital Angelina Caron negou que equipe tenha deixado idoso em calçada, após receber alta — Foto: Reprodução/RPC

Leia a nota do hospital, na íntegra:

“O Hospital Angelina Caron informa que o paciente Valmir Gonçalves de Lima, de 62 anos, recebeu alta no dia 21 de janeiro, e foi levado de ambulância acompanhado de enfermeiro e assistente social até o domicílio de cadastro.

A equipe foi recebida por um morador que se identificou como amigo da família e cuidador do idoso. Essa pessoa informou que o paciente morava com um irmão em outro endereço, para onde a ambulância se dirigiu.

Neste segundo endereço, um vizinho recebeu o paciente e disse que aguardaria no local a chegada de um familiar. A equipe do hospital insistiu que permaneceria ali até o familiar chegar, mas o vizinho a dispensou.

Em nenhum momento o paciente foi deixado sem acompanhamento. O transporte do paciente foi providenciado pelo hospital, pois nenhum familiar se dispôs a buscá-lo após comunicada a alta.

No hospital não há registro de visita de familiares durante os períodos de internamento dele. No dia 27 de dezembro, o Hospital Angelina Caron registrou uma denúncia no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Quatro Barras sobre o abandono do paciente pela família, que se recusou a ir buscá-lo todas vezes que o paciente teve alta. O hospital abriu uma sindicância interna para apurar os fatos.

Não existe no Hospital Angelina Caron a prática de levar o paciente para casa pós-alta. Foi um caso isolado, pois é raro o hospital vivenciar esse tipo de situação, em que a família abandona o paciente.

Como o hospital não oferece esse serviço, não há um protocolo que estabeleça que a pessoa que recebe o paciente em casa deva assinar”.


Source link

Sobre Hidro Curitiba

Verifique também

carro movido a água - kit - preço - gasolina - etanol - diesel - gnv - bosh - audi - motor - volkswagen - nissan - hidrogênio

Para aliviar o bolso com as disparadas no preço da gasolina, etanol, diesel e GNV, consumidor recorre ao Kit na internet que promete carro movido a água com valor inicial inferior a R$ 200

Kit carro movido a água por menos de R$ 200 Sege movido a água é …

Call Now Button