Médias móveis caem, mas taxa de transmissão do coronavírus aumenta

Médias móveis caem, mas taxa de transmissão do coronavírus aumenta

Médias móveis caem, mas taxa de transmissão do coronavírus aumenta

As médias móveis de casos e de mortes por Covid-19 estão inferior dos índices verificados duas semanas detrás, conforme dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) neste domingo (20).

A média traste de casos está em 3.469 nos últimos sete dias, o que representa uma subtracção de 18,5% em relação há 14 dias. Entretanto, houve um aumento na média traste se a confrontação for com o oferecido verificado em 13 de junho, ou seja, há uma semana. Naquele momento, a média traste de casos estava em 2.909.

Médias móveis caem, mas taxa de transmissão do coronavírus aumenta

Em relação às mortes por Covid-19, os dados apontam redução na média traste. Ela está em 62 nos últimos sete dias, o que significa uma queda de 60,2% na confrontação com os dados de duas semanas detrás.

Médias móveis caem, mas taxa de transmissão do coronavírus aumenta

Apesar dessas reduções, é preciso manter-se vigilante ao número de casos, que subiu de uma semana para outra. Aliás, preocupa a taxa de transmissão do coronavírus, que voltou a subir e é a mais elevada desde 20 de maio. A taxa está em 1,11, ou seja, cada 100 pessoas podem transmitir o vírus para 111.

Neste domingo, a Sesa confirmou mais 10.415 casos de Covid-19 e 21 mortes pela doença. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 29.828 óbitos e 1.197.002 casos confirmados. Deste totalidade, 838.007 paranaenses se recuperaram da doença, o que representa 70% dos casos.

As mortes confirmadas neste boletim são de 9 mulheres e 12 homens, com idades que variam de 26 a 101 anos. Os óbitos ocorreram de 18 de maio a 20 de junho deste ano.

Neste momento, 2.355 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.906 pacientes em leitos SUS (924 em UTI e 982 em enfermaria) e 449 em leitos da rede privado (236 em UTI e 213 em enfermaria).

Há outros 2.828 pacientes internados, 1.136 em leitos UTI e 1.692 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão na rede pública e rede privado e são considerados casos suspeitos.

Original: Post Completo

Compartilhar esta postagem

Call Now Button
%d blogueiros gostam disto: