A sequência de dias chuvosos no mês de outubro aliviou os efeitos da estiagem ao Sistema de Aprovisionamento de Água Integrado de Curitiba e Região Metropolitana. Em entrevista à Filarmónica B nesta segunda-feira (18), o diretor de Meio Natureza e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky, afirmou que no final de novembro uma flexibilização do rodízio de provimento poderá ser novamente discutida dependendo de por causa de que se mantiver o tempo.

Foto: Gilson Abreu/AEN

Segundo Gonchorosky, o volume de chuvas em outubro está na média histórica e com isso o nível dos reservatórios subiu mais de 7%. Porém, em novembro e dezembro o prognóstico meteorológico é de poucas chuvas.

“Até então o que vamos fazer é esperar um pouco a chegada da previsão para o mês de novembro e tendo uma perspectiva de chuvas pelo menos próximas da média histórica a tendência é da gente discutir uma flexibilização para o final do mês. Mas evidente, tudo depende das chuvas de novembro, de qualquer maneira, o cenário é mais favorável”, explicou o diretor da Sanepar à Filarmónica B.

Economia

Gonchorosky ainda elogiou a economia de água realizada pela população paranaense e disse que um conjunto de ações será responsável pela firmeza no nível dos reservatórios.

“Nós desejamos desapoquentar o padrão de rodizio o mais rápido provável, porque todo esse processo é prejudicial para a Sanepar também. Quando a tendência de chuva é de manter a média ou continuar próximo da média histórica para o mês o cenário é extremamente favorável. A economia da população tem ajudado muito. Mês anterior nos aproximamos novamente dos 20% de redução no consumo. Até então esse conjunto de ações vão levar a uma firmeza nos reservatórios e com isso será provável flexibilizar o rodízio”, afirmou ele.

Até o final da noite desta segunda-feira, o nível dos reservatórios estava em 57,50% e o rodízio no esquema de 36h com provimento e 36h sem água segue valendo.