Home / Noticias Blog / Adesão a aulas extracurriculares presenciais chega a 35% em colégios de Curitiba

Adesão a aulas extracurriculares presenciais chega a 35% em colégios de Curitiba

Vários colégios particulares retomaram as aulas extracurriculares na semana passada e nesta semana após oito meses com as portas fechadas por causa da pandemia de Covid-19. Segundo informações de escolas consultadas pela reportagem do Bem Paraná, a adesão ficou, em média, em 30%, mas alcançou 35% em algumas instituições em Curitiba. Desde o dia 19 de outubro, escolas públicas e privadas do Paraná estão liberadas a retomar atividades extracurriculares presenciais de forma gradativa, de acordo com a Resolução Sesa 1231/2020.

Para a presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino de Estado do Paraná (Sinep), Ester Cristina Pereira Sinepe, o retorno das extracurriculares é um excelente ensaio para a retomada presencial de todas as atividades. “Acredito verdadeiramente que fará toda a diferença. Pois vendo que na Europa as escolas não fecharam com a segunda onda. Poderemos ter a mesma linha de pensamento. Voltar requer todo um movimento diferente e estamos aprendendo com esse retorno lento”, afirma Ester.

Nas unidades da Escola SEB-Dom Bosco em Curitiba, as aulas as atividades extracurriculares presenciais foram retomadas ontem para alunos a partir de 5 anos de idade até o 5º ano do Ensino Fundamental. Estão sendo realizadas atividades esportivas, recreativas e socioemocionais, como o Laboratório de Vida, sempre com foco na ressocialização e adaptação das crianças. Entre os protocolos de segurança está a obrigatoriedade de uso de máscara por parte dos alunos, funcionários e professores.

Neste primeiro momento, a escolas do grupo irá trabalhar com 38% da capacidade de alunos e as aulas ocorrerão duas vezes por semana. Audry Castello Branco, Diretora da Escola SEB Dom Bosco – Unidades Batel e Nova Batel, ressalta que todas as escolas do Grupo SEB contam com a chancela da Consultoria Einstein para os protocolos de segurança sanitária adotados para o retorno às atividades presenciais, e foram certificadas.

Escolas implantam protocolos que incluem cores de máscaras 

Audry Castello Branco, Diretora da Escola SEB Dom Bosco – Unidades Batel e Nova Batel, explica que para que os alunos usem às máscaras de modo correto foi estabelecido um protocolo com cores diferentes para facilitar a fiscalização por parte dos professores. Cada aluno tem que levar três máscaras para a aula. “Sendo que em um primeiro momento, assim quem entram na escola, os alunos devem usar a máscara de cor azul e, às 10 horas, eles devem trocar pela máscara verde e uma terceira, na cor branca, dever ser usada caso ocorra alguma eventualidade”, diz.

A diretora esclarece ainda que é muito importante essa conscientização do papel de cada um neste novo mundo diante dos desafios. “Protocolo de cotidiano escolar para facilitar a supervisão do professor e também trabalhara a conscientização constante das crianças sobre novos comportamentos e atitudes que precisam ser incorporadas neste novo mundo”, afirma.

“Essa volta as atividades, ainda que de forma reduzida, faz muito bem para a comunidade escolar, porque é a forma de estar podendo exercitar tudo que a gente pensou, como manter a escola viva, como a escola contribui para que esse aluno realmente compreenda o que está ocorrendo no nosso cotidiano”, diz Audry.

Além do protocolo das máscaras, a temperatura dos alunos é medida sempre que eles entrarem na escola. O mesmo deve ocorrer com professores e funcionários. Além disso, segundo Audry, dispensers com álcool gel foram distribuídos em pontos estratégicos da escola e do pátio da mesma. O chão da escola também foi demarcado para auxiliar no distanciamento mínimo de acordo com os protocolos internacionais de controle do coronavírus. A respeito a possibilidade de aparecerem casos de Covid-19 na escola, Audry explica que o protocolo trabalhou com ‘bolhas’ que podem facilitar o controle.

O Colégio Atuação também retornou as aulas extras e 30% dos alunos já estão indo presencialmente para escola. A direção da instituição acredita que o um número maior deve aderir ao presencial depois do dia 15 de novembro, porque muitos estavam viajando ou não tinham se programado para o retorno.

No Colégio Positivo, a adesão às atividades extras, que começaram ontem também ficou em 30%, segundo a assessoria de imprensa.  Lá, o retorno foi em formato diferenciado, com foco no reforço das disciplinas e conteúdos de maior dificuldade de cada aluno e na saúde emocional das crianças e adolescentes. O conteúdo regular será mantido no formato on-line e a participação presencial é facultativa.

“O Colégio Positivo investiu mais de R$ 50 milhões em reformas e melhorias para se preparar para receber os estudantes e professores, oferecendo condições para que essa volta seja segura para todos. Além disso, uma campanha de conscientização e informação à comunidade escolar comunica sobre os novos procedimentos de entrada, saída, uso de máscaras, higienização das mãos, entre outras medidas necessárias”, diz texto sobre a volta às aulas.

Em Curitiba os Colégios Maristas abriram suas portas novamente nos dias 21 e 22, com atividades presenciais limitadas a pequenos grupos de alunos e com foco na retomada pedagógica.

Consciência
‘Eu venho preparando meu filho para se preocupar com o outro’, diz mãe
Gissele Caporasso, mãe do Gustavo Caporasso, aluno do 3º ano da Escola Dom Bosco, conta estar tranquila em relação aos cuidados que a escola tomou. Gissele relata ter acreditado que a escola poderia ter esperado mais um pouco. “Afinal já estamos em novembro, mas a partir do momento que a escola fez essa abertura, a criança fica bastante ansiosa”, afirma.

Ela conta que, antes de enviar Gustavo para escola conversou bastante com ele. “Eu venho preparando ele, para ele pensar no outro, para ele perceber o quanto é importante ele estar inserido neste contexto e saber da importância de se preocupar com o outro”, conta.

Gissele ressalta que a escola tem, desde o começo, se mostrada bastante preocupada como os alunos e funcionários. “Eu na verdade tenho medo pelo outro e me questiono se neste feriado, os outros pais não saíram e foram para a praia, por exemplo”, diz. “Mas em relação à escola eu estou bastante tranquila”, finaliza.

Liminar

Justiça deve julgar nesta semana pedido de retomada total
Em paralelo à autorização das aulas extracurriculares presenciais, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná (Sinepe) impetrou um mandado de segurança questionando a legalidade de uma Resolução da SESA pedindo que ela assegure que as escolas particulares associadas tenham o direito de disponibilizar aos seus alunos, a possibilidade de uma retomada das aulas curriculares presenciais de maneira gradual, opcional e segura.

A retomada, segundo a entidade, ocorreria dentro dos parâmetros do protocolo de segurança sanitária. O mandado está com o Desembargador Robson Marques Cury, do TJ-PR e deve ser julgada nesta semana. Em decisão liminar recente, o mesmo desembargador, concedeu às escolas particulares de Londrina o direito de retomada das aulas presenciais, em caráter opcional.

Fonte: Post Completo

Sobre Hidro Curitiba

Verifique também

Fiscalização fecha festa clandestina com 170 pessoas em bairro de Curitiba

Fiscalização fecha festa clandestina com 170 pessoas em bairro de Curitiba

Uma sarau clandestina, com a participação de aproximadamente 170 pessoas, em uma granja no bairro …

Call Now Button